Quando falta educação, os publicitários entram em cena…

Certa vez o grande mestre Francisco Gracioso, co-fundador da Escola Superior de Propaganda e Marketing - ESPM - falava, em uma entrevista, sobre o importante papel desempenhado pela propaganda no processo de educação de um povo. Comentou que enquanto criava seus anúncios para a Gessy-Lever, tinha que se preocupar em estimular o hábito de se escovar os dentes diariamente e se tomar banho usando sabonete. Ou seja, antes de vender determinados produtos ou serviços, muitas vezes é necessário se educar os consumidores quanto a necessidade do seu uso ou sobre como o seu consumo pode tornar a vida melhor.

Acabo de ver no Brainstorm9 este vídeo feito pela agência Getz, de Curitiba. Ele trata de um problema que os deficientes enfrentam diariamente quando tentam encontrar uma vaga para estacionar e aquelas reservadas foram ocupadas por sujeitos (homens e mulheres) mal-educados, egoístas e portadores de outros adjetivos depreciativos que prefiro não expor neste canal.

Entra em cena, então, a propaganda. Neste caso, não para vender produtos, mas com profundo apelo educativo. Veja aqui neste vídeo genial como seria se o contrário ocorresse e as vagas comuns fossem ocupadas pelos portadores de necessidades especiais:

Esta vaga não é sua nem por um minuto from Bruno Siqueira (malha) on Vimeo.